Google lista 6 erros que PMEs não podem cometer na Black Friday – Agência Masa

Google lista 6 erros que PMEs não podem cometer na Black Friday – Agência Masa

A Black Friday está chegando e muitos varejistas estão nos ajustes finais para uma das datas mais importantes do calendário promocional do ano. Entre as pequenas e médias empresas, nem sempre há um planejamento anterior com maior prazo.

Por isso, o Google listou seis erros mais comuns na data que devem ser evitados. Se você ainda não parou para pensar nesta ação, preste atenção nos números a seguir:

De acordo com os dados do Google, a Black Friday é a segunda maior data do comércio eletrônico no Brasil. Só na Black Friday 2017, os consumidores brasileiros fizeram 3,8 milhões de pedidos, gerando R$ 2,1 bilhões em vendas no meio online, de acordo com dados da e-Bit. Hoje, o volume de buscas pelas promoções é 3x maior que em 2013, quando a Black Friday começou a ganhar mais força no Brasil. A data promete crescer 15% em 2018, sendo que as categorias mais desejadas devem ser: eletrônicos (39%), eletrodomésticos (33%), artigos de telefonia e celular (25%), informática (24%), moda (19%) e cosméticos (18%), dados da e-commerceBrasil.

 

Agora, veja as dicas para as PMEs das especialistas do Google, Lidiane Tahan e Jéssica Miwa:

 

1- Ficar fora da Black Friday

O interesse pela Black Friday começa muito antes e atinge seu pico em novembro. Ou seja, os consumidores já estão pesquisando e muitos já se cadastraram para receber as promoções com exclusividade. Ficar de fora representa perder a possibilidade de vender 15x mais que o faturamento de um dia comum.

 

2- Deixar as campanhas para última hora

Como se organizar para as vendas, além de manter ofertas mais atraentes e ao alcance do consumidor. As campanhas de Marketing digital e o uso das ferramentas para aumentar as vendas online, como o Google Shopping, são opções que, ao contrário do que muitos acreditam, cabem no bolso de qualquer PME.

 

3- Promover ofertas enganosas

O consumidor está cada vez mais atento às ofertas da Black Friday. “Tudo pela metade do dobro do preço” não existe mais! Em 2016, o consumidor investiu mais tempo para pesquisar do que para comprar. De acordo com Reclame Aqui, pesquisas para consultar a reputação das empresas cresceram 26% na semana da Black Friday e os lojistas responderam em peso, já que o número de reclamações caiu 33% no último ano.

 

4- Tem, mas acabou

Não estimar o volume de produtos necessários é algo impensável durante a Black Friday. O aumento nas vendas pode chegar até 5 vezes mais que os outros meses do ano.

 

5- Esquecer dos novos clientes

Esta é uma grande oportunidade para conquistar novos clientes fiéis. Quase 300 mil brasileiros compraram pela primeira vez pela internet durante a Black Friday de 2016. Por isso, é preciso pensar estrategicamente, esta nova base para aumentar o ciclo de vida desses clientes.

 

6- Oferecer uma experiência de compra ruim

Esta é a hora de encantar os clientes. Se puder, aumente a equipe e priorize a qualidade no atendimento.  Dados apontam que 51% das decisões estão atreladas à confiança e experiência com o lojista. Preço e produto são importantes para atrair o consumidor, assim como uma boa logística para entrega dos produtos.

 

Fonte: Mundo do Marketing

0 Comentários

Deixe o seu comentário!